terça-feira, 16 de junho de 2015

ele não mora mais ali

ele mudou de casa
na verdade, a mãe dele mudou de casa, consequentemente ele, quando voltar para a cidade, também vai mudar de casa..

o problema não é ele ter mudado de casa, é não saber onde ele está
e o problema não é ele.
é ela.

onde será que ela está?
pra ela que eu não consigo sorrir, ser educada, gentil, normal.

e ele mudou de lugar.
mudou de casa.
minha casa mudou.

tantos aqui abriguei que nem sei se cabe a conta.
paixões, amores, rolos, pegação.
admiração intelectual, admiração de estilo, de ideias, de energia.. de atitudes...

tanta gente mora
tanta gente já morou em mim..
engraçado que essa 'morada' é como revisitar a casa onde já se morou..
o corpo é a casa.
e se meu corpo habitaram..
é como se em cada cômodo houvesse uma memória ali..
meio apagada, quase esquecida...

mas o cheiro as vezes volta
as imagens de pessoas na casa agora vazia..

novas pessoas, novos móveis, novas coisas, novas vivências preenchem o vazio
aos poucos, as vezes nem tão devagar..

aquela espera as vezes não desejada de querer alguém que não vá, que fique a morar..

o legal é perceber onde queremos morar.
dentro de nós, nos outros, nas nossas ações, nas nossas memórias, no nosso presente, no nosso passado...

o passado é muito grande pra caber no presente.
as coisas vão mesmo.. querendo nós ou não.

habitemo-nos.
desabite-se.

o ciclo sempre repete.. a espiral nos leva a lugares especiais.
observe.

mesmo porque, ele não mora mais ali.

Nenhum comentário:

Postar um comentário