quarta-feira, 21 de maio de 2014

Aquele mês

passou da metade
arrastando...........

não vi meu pai
aquela pessoa foi pra longe
meu padrinho faleceu
minha garganta zuou de um jeito que nunca antes..

perdi a voz. literalmente.

a nossa imediates com a vida e a estagnação com a morte as vezes seduz nosso corpo
a adoecer.. pegar uma parte de morte pra si
pra renovar, renascer, recomeçar

não é tão fácil como outrora foi..

uma agonia interna, uma ventania externa..
tudo parece bagunçar, mas está tudo em seu lugar
o meu é que não enxergo.

em casa, no outro, em mim.
as referências são as mesmas e, ao mesmo tempo, mudaram tanto em apenas cinco anos..

cinco anos

uma existência particular. experiência singular, se afastar do mundo, do familiar, se aproximar, se afogar de si; poder mergulhar nos piores pesadelos, medos, desejos e gozar dos melhores sonhos e anseios.

tempo talvez de relembrar....
porém, sem reviver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário