quinta-feira, 13 de junho de 2013

Pesar do belo

Havia dito que achava a tristeza dela bonita.
Que a vestia bem naquele dia, naquela postura de corpo..
E assim a conquistou o interesse primeiro...
De querer descobrir o que mais tinha de bela pelos olhos dele.

Passaram-se meses, de tardes, noites e manhãs juntos.
Apenas conversas, horas de almoço ou janta,
intervalos de aulas, ensaios abertos de pesquisas suas..

Um dia a beleza secou a fonte.
A tristeza já não cabia mais dentro dela
Tomou-lhe seu lugar a alegria...

Talvez por isso ele deixou de olhar pra ela.. como outrora olhava..
Agora os olhos dele são de outra..
Talvez esta sim tenha aquele antigo pesar...

terça-feira, 11 de junho de 2013

a alma também

Já não acho ela mais tão bonita. As drogas a envelheceram..
O trabalho consumiu a leveza que outrora podia ter..
Hoje não mais. Faliu-se de si mesma. A rotina a engoliu.
Era indigesta, foi cuspida pela vida. Pela morte, pela sorte.

Sobrou dela o que eu não mais quero pra mim.
Uma beleza estranha, copiada de revistas.
A maquiagem cobre seu rosto e seu ego, mostrando apenas o que nunca foi.
Dinheiro para festas é o que tem de mais sutil.

Agora, não mais a vejo bela, o que antes era sim
Delicada em sua tristeza, dores e doenças
A pequena fofa era mais que magreza..
O corpo encolheu, a alma também..

A humanidade que se esconde..
na terra. Na Terra?
não.
Enterrada. Jaz. Morreu.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

racional

Quando você percebe que o seu mundo amplia... na medida que começa a notar que chorar não resolve nada, talvez alivie algumas coisas, deixe você mais leve...
Mas conscientizar-se do que aconteceu é mais, muito mais útil em um sentido prático da vida, não só pela falta de tempo que nos toma a vida conforme os anos vão passando..

Mas pelo fato de que não precisamos mais perder tempo ignorando o que a vida insiste em nos colar na cara, na fuça da gente o que não queremos aceitar da gente mesmo, que por mais que pro outro, pra quem é de fora veja e ache ridículo de simples, pra nós, pra quem vive e sente as coisas ainda de um jeito x.. é doloroso ter visão..., ter a ampliação das coisas que acontecem como sendo nossas, partindo de nós e voltando pra nós mesmos...