quinta-feira, 19 de julho de 2012

Mesmo que discorde

Foto: Cauí Oliveira


Nem sempre é só Sol
a nota, acorde
que acode muitas aflições
numa manhã de sol..
que faz clarear 
faz com que acorde
para o que está 
não pelo futuro. 

é mistura
das melhores cores
não para todos
mas para indivíduos
mistura de gente
de preferidos.

mesmo que discorde
ou que se queira discordar
são coisas que como palavras
num poema qualquer
aqueles poemas de minuto
que vêm num passo vão-se em outro
mas que existem,

não se negam
são coisas que se tenta fingir
que não houve
nada mais se ouve,
nada mais se vê,
nada mais vive.

é tudo aquilo.
e é aquilo só.
é só 
e é solitário ser só
quando é só aquilo
que ecoa.
mesmo que discorde



quarta-feira, 4 de julho de 2012

das maiores saudades..



"eu nunca mais te vi.

você sumiu


de você mesma."

Calle




Sophie...

Calle.

"outras"
"outras"
outras...

o que te toca na vida real?
e o que te toca na vida virtual?

o que te comove no que não lhe é real, mas faz parte de você?
o que te move no que é real e faz parte de você?

o que te remove?
mudanças, talvez?

términos.

passagens.

"outras"

"outras"

ele dizia. disse duas vezes. voltou a vê-las.

(guardar segredos não é da nossa geração, já dizia um professor meu de literatura.)

e as vontades voltam, não de fuga. PROTEÇÃO.


a sensibilidade rasga cartas e histórias
quando tocada de maneira brusca e imprópria

como criança que quebra o pianinho ao descobrir que bater nele faz sair som..

eles nunca deixam de amá-la.

sempre disseram isso a ela?

sempre disseram isso a ela.



nunca a deixarão