quinta-feira, 15 de março de 2012

Da doença

Artista: Takato Yamamoto


Da dor
Da tristeza que acompanha
Do luto que se vive

De alguma coisa constante
Porque sempre algo morre para outra coisa acontecer
Mesmo que seja o 'não-acontecer'

A doença.
Que parte da dor.
Que não parte a tristeza.

Mesmo no estado quente do ambiente
é preciso buscar o calor do próprio corpo.
É preciso suar para estancar a febre, a própria doença.

Eis a nossa própria doença.
Eis a nossa própria cura:
Eis o espelho no outro, nós mesmos.

Que de tão contínuo e integrado que é,
pois é parte, não pedaço em separado,
quase passa imperceptível.

Imperceptível por parecer pequeno diante dos acontecimentos,
diante dos nossos aconteceres, ou mesmo do outro,
mas se for pensar, só acontece porque existimos.

Não somos tão pequenos assim,
mas por nos conduzirem essa ideia, acreditamos.
Se fôssemos mesmo tão pequenos nada de grande aconteceria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário